Justiça nega pedido de liberdade de colecionador de armas que trocou tiros com PMs em Marília | Bauru e Marília


A Justiça de Marília (SP) negou nesta terça-feira (15) o novo pedido de liberdade feito pela defesa do empresário Francis Vinícius Bez Angonese, de 31 anos, acusado de trocar tiros com a PM, ferindo dois policiais na madrugada do dia 30 de setembro do ano passado.

Em sua justificativa, o juiz Fabiano da Silva Moreno entendeu que a defesa não levou aos autos argumentos que mudassem o posicionamento sobre a prisão preventiva, que foi mantida.

Este foi o terceiro pedido de liberdade feito pela defesa do empresário que acabou sendo negado. Em meados de outubro do ano passado, a Justiça negou o pedido de habeas corpus feito pela defesa de Angonese quando ele ainda estava internado na ala psiquiátrica do Hospital das Clínicas.

No dia 6 de outubro, a Justiça já havia negado o pedido de revogação de prisão preventiva feito pela defesa. Em meados de novembro, a Justiça voltou a negar um novo pedido de liberdade feito pela defesa do empresário.

Após a realização da primeira audiência do caso, no último dia 3 de fevereiro, o magistrado cobrou urgência na remessa do laudo realizado no réu. Segundo o juiz, o empresário passou pelo exame para atestar o grau de sanidade mental, mas até o momento o laudo não foi divulgado.

Na audiência, realizada de forma online no Fórum de Marília, foram ouvidas seis testemunhas e o réu, que foi interrogado por videoconferência diretamente do Centro de Detenção Provisória (CDP) de Álvaro de Carvalho, onde está preso.

Francis Angonese responde por dupla tentativa de homicídio qualificada, com agravantes que podem ampliar a pena: tentativa de ocultar o primeiro crime (disparos de arma de fogo na casa) e crime contra a autoridade policial.

Segundo a denúncia do promotor Rafael Abujamra, no dia do ocorrido, por volta das 4h, na rua Monteiro Lobato, Francis tentou matar os policiais militares. Consta que, no mesmo local, momentos antes, o empresário disparou tiros em área habitada e em direção à via pública.

Três pessoas ficam feridas em tiroteio registrado nesta quinta-feira em Marília

Três pessoas ficam feridas em tiroteio registrado nesta quinta-feira em Marília

Caso condenado, a pena do empresário e colecionador de armas pode chegar a até 40 anos de reclusão em regime fechado.

Segundo o documento, Francis é atirador esportivo registrado e possuía em casa uma pistola calibre 9 mm e outra calibre 380, além de uma espingarda calibre 12, bem como várias munições e apetrechos para a recarga delas.

Justiça acata denúncia do MP

A Justiça aceitou a denúncia do Ministério Público e tornou réu o empresário e colecionador de armas no dia 21 de outubro de 2021. Na decisão, o juiz Fabiano da Silva Moreno ainda reviu o pedido de prisão preventiva e manteve a custódia do empresário por pelo menos mais 90 dias.

O colecionador de armas chegou a ficar internado no Hospital das Clínicas de Marília sob escolta policial e após a alta médica foi transferido para o CDP de Álvaro de Carvalho. Os dois policiais também ficaram feridos.

Segundo a denúncia apresentada pelo Ministério Público, Francis passou a efetuar disparos para o alto com uma espingarda calibre 12 e uma de suas pistolas.

O empresário estaria irritado por uma discussão anterior que teria tido com o vigilante, que atua na rua de sua residência. Após ingerir bebida alcoólica, o acusado passou a efetuar disparos inicialmente no jardim e posteriormente no quintal , enquanto gritava “hoje eu mato ou eu morro”.

De acordo com o MP, a Polícia Militar foi acionada para atender a ocorrência de disparo por vizinhos e, ao chegar ao endereço, a equipe acionou a campainha da residência. Neste momento, o empresário teria ido até a garagem armado e novamente efetuou disparos com a espingarda calibre 12 em direção à via pública.

Em nota, a PM informou que a equipe se abrigou atrás de um poste para tentar a negociação, mas nesse momento o morador começou a atirar com uma pistola 9mm.

Ainda conforme a PM, após intensa troca de tiros, um policial foi atingido na perna, sendo que o projétil transfixou, causando fratura óssea. O outro policial foi atingido por três disparos, no pé, quadril, ombro e braço, e passou por cirurgia para retirada dos projéteis. O morador foi atingido por três tiros e também passou por cirurgia.

VÍDEOS: assista às reportagens da região

Veja mais notícias da região no g1 Bauru e Marília.



Fonte: G1


15/02/2022 – Rádio Cidade FM

PUBLICIDADE

CONTATO

ONDE ESTAMOS

Rodovia Brigadeiro Eduardo Gomes – SP 457 Bastos / Iacri – KM 98 + 500Mts – CEP: 17.690-000.

© 2024 Cidade FM - Todos os Direitos Reservados.

INICIANDO...