Rádio Cidade FM 91,5

Número de emergência da PM em Bauru recebe 140 mil trotes em um ano



Os trotes têm atrapalhado a execução dos serviços de emergência da Polícia Militar e do Samu em Bauru (SP). De acordo com a imprensa da PM, no ano de 2018, o número de emergência recebeu mais de 1 milhão de chamados na região de Bauru. No entanto, 14% deles foram ligações de trotes. Foram 140 mil ligações que só atrasam a atuação desses profissionais.

A Polícia Militar e o Samu são atendimentos de emergência que podem ser acionados pelos números 190 e 192. Quando as pessoas utilizam esses telefones para passarem trotes, a linha fica ocupada e pode prejudicar uma pessoa que está em perigo e precisando do serviço de emergência.

Além dos trotes, o capitão da PM, Jovercy Bergamaschi Júnior, explica que muitas pessoas ligam para a Polícia Militar para tirarem dúvidas a respeito de alguma informação que não diz respeito aos serviços prestados pela polícia.

“São pessoas que acabam perguntando informações muitas vezes que não são de origem policial, como por exemplo se algum comércio está aberto, como ela faz para tirar um documento, então isso acaba ocupando uma linha que poderia ser utilizada para uma ocorrência emergencial”, explica o capitão.

A Polícia Militar de Bauru também constatou que 77,6% dos trotes recebidos por eles foram feitos por adultos.

“A maioria dos trotes são adultos, mas devido a sazonalidade, isso aí muitas vezes tem aumento das crianças. Período de férias a gente percebe que muitas crianças, por não terem uma atividade recreativa, acabam utilizando o telefone para ligar para a Polícia Militar”, observa Bergamaschi.


  No ano de 2018, a polícia de Bauru recebeu mais de 1 milhão de chamados, sendo 14% deles trotes  — Foto: Reprodução/TV TEM

No ano de 2018, a polícia de Bauru recebeu mais de 1 milhão de chamados, sendo 14% deles trotes — Foto: Reprodução/TV TEM

Quando essas ligações indevidas começam a ser muito frequentes, a Polícia Militar tem um procedimento no qual identifica o número, rastreia a origem da ligação e vai até o local onde ela foi feita, para entender o que pode estar acontecendo.

No entanto, esse procedimento acaba mobilizando uma viatura, um veículo que poderia estar com uma equipe da polícia fazendo patrulhamento preventivo em bairros e cumprindo a função de levar segurança à população.

“Com o passar do tempo, os atendentes acabam tendo uma certa expertise nas ligações de trote. Então quando eles percebem, logo de imediato, que uma pessoa está passando um fato que não é real, eles acabam desligando”, explica o capitão.


  Pessoas também costumam ligar para o número de emergência para pedirem informações em Bauru  — Foto: Reprodução/TV TEM

Pessoas também costumam ligar para o número de emergência para pedirem informações em Bauru — Foto: Reprodução/TV TEM

No Samu de Bauru, os dados também são alarmantes. Somente entre janeiro e julho deste ano, a cidade já registrou mais de 2 mil ligações de trotes, segundo a assessoria de imprensa da prefeitura.

Com isso, os quatro servidores que trabalham atendendo as chamadas precisam filtrar as informações antes de enviar uma viatura ao local indicado.

“Existe duplo filtro. A técnica de regulação médica é uma telefonista experiente, geralmente filtra isso antes de chegar no médico. E também tem o filtro do médico que identifica essas chamadas e existe um não envio”, explica o médico do Samu, Kazu Sawao.

Por isso, a Polícia Militar e o Samu alertam para que as pessoas não liguem para os números 190 e 192 caso não estejam realmente precisando do serviço de emergência. Os canais servem, unicamente, para ajudar as pessoas que estão em risco e que não devem ser prejudicadas por trotes e "brincadeiras".

Fonte: G1

Fonte:

Mural de Recados - Rádio Cidade